Arquivo da tag: Dráuzio Varella

Autor Convidado – Valerio Lima

EU, TEÍSTA, E OS ATEUS

Quando alguém me diz que é ateu, eu sinto muita pena.
E lembro-me do Sr. Antonio de Figueredo, meu antigo chefe.
Jamais conheci alguém com tantas virtudes. Era ateu.
Quando alguém me diz que é ateu, eu morro de vergonha.
E lembro-me de José Mujica, Presidente do Uruguai.
“O presidente mais pobre do mundo”, que não tem conta bancária. Nem dívidas. Não usa gravata. Seu único bem é um Fusca azul 1300, ano 1987, avaliado em mil dólares. Dos US$ 12,5 mil que recebe de salário mensal como presidente, fica só com US$ 1.250. Doa o restante para ONGs, que constroem casas populares. Usa as dependências do palácio presidencial para abrigar sem-tetos. É ateu.
Quando alguém me diz que é ateu, eu sinto muita tristeza.
E lembro-me de Charlie Chaplin, compositor, ator, humorista.
Que fez tanta gente rir nas horas difíceis.
E nos embala até hoje com suas canções como Smile (Sorria). Era ateu.
Quando alguém me diz que é ateu, eu me sinto tão impotente.
E lembro-me de Herbert José de Sousa, o Betinho,
Um grande ativista e defensor dos direitos do ser humano,
Concebeu e dedicou-se ao projeto Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida. Era ateu.
Quando alguém me diz que é ateu, eu sinto muita ojeriza.
E lembro-me de Angelina Jolie, atriz e ativista contra a fome na África e no mundo que adotou crianças condenadas à morte por inanição. É ateia.
Quando alguém me diz que é ateu, sinto muito desgosto.
E lembro-me de Bill Gates que não se deixou vencer pelo dinheiro,
Destinando cerca de R$ 49 bilhões (quase metade de seu patrimônio pessoal) para diminuir a fome no mundo e investir em pesquisas e na produção de vacinas e energia alternativa. É ateu.
Quando alguém me diz que é ateu, fico chocado.
E lembro-me de Dráuzio Varella um profissional magnífico que faz de sua profissão porto seguro com toda dignidade que lhe é peculiar. É ateu.
Quando alguém me diz que é ateu, eu sinto muita indignação.
E lembro-me de Demócrito, Graciliano Ramos, Jose Saramago, Leonardo da Vinci, Monteiro Lobato, João Cabral de Melo Neto, Zélia Gattai, Chico Buarque, Machado de Assis, Mário Lago, Oscar Niemeyer, Patch Adams, Paulo Freire e tantos outros que contribuíram no conhecimento, humanismo, filosofia, arte e cultura para o crescimento dos povos. Eram ateus.
Quando alguém me diz, tu és teísta,
Eu sinto muita indignação, muito desgosto, muita ojeriza, muita impotência, muita tristeza, muita vergonha e muita pena de mim mesmo porque, apesar de eu ser teísta, jamais me comportei como tal deixando aos outros as responsabilidades que, também, cabiam a mim realizar. E como teísta devo saber que, quando um dia, eu estiver diante do tribunal da minha consciência, ninguém me perguntará em que eu acreditava ou a que religião ou filosofia eu frequentava. Mas a minha consciência me perguntará: – o que fiz para transformar, melhorar, embelezar e humanizar o mundo eu que vivi? Não importa se somos ateus ou teístas. O que realmente importa são as nossas ações e construções para um mundo melhor. Ser ou não ser é somente uma escolha, portanto, façamos o melhor de nós nessas escolhas.


Como vocês devem ter reparado, essa é uma nova seção aqui do blog, onde um autor convidado deixará seus textos e pensamentos.

O convidado de hoje foi o Valerio Lima, criador e moderador da comunidade Seja Exemplo Para um Mundo Melhor, que apesar da crença em Deus, também compartilha da opinião de que as mudanças nesse mundo dependem mais das ações de quem vive nele.

Se tiver interesse em contribuir com um texto para o blog, entre em contato pelo email blogateuedai@gmail.com ou através de nossa página do Facebook.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Convidados